Uma pitada de história

Logo após os fundadores do Snapchat recusarem a proposta de 3 bi feita por Zuckerberg em 2012, o grupo de Mark passou a implementar o recurso de Stories, inicialmente no Instagram e depois em outras plataformas.

Depois da implementação do recurso, o aplicativo passou a receber a atenção dos usuários do Snap que migraram pouco a pouco para o Instagram, o Snapchat continuou crescendo, principalmente entre os jovens de 15 a 25a, porém com uma diminuição significativa de seus usuários.’

No Brasil, a maior parte dos usuários do Snap foram para o Instagram logo após a inteligente jogada de Mark, e agora, no começo de 2020 o Instagram finalmente bateu o Facebook em número de acessos.

No último trimestre, um levantamento feito pela Nuvemshop mostra que 70% das vendas pelas redes sociais foram feitas pelo Instagram, então como utilizar todo este potencial a seu favor?

Cada qual em seu lugar

Para começar, preciso apontar que o algoritmo do Instagram adora quando usamos os seus recursos ao máximo, logo, não utilizar os stories e todas as ferramentas dentro dele seria um tiro no pé da sua relevância dentro do app, porém, vamos com calma, não precisamos postar mil conteúdos no feed e replicar todos para o stories, afinal, são ambientes de interação diferentes, portanto pedem conteúdos distintos.

Os tipos de conteúdo mais indicados para o Stories são aqueles que geram algum tipo de interação com o público, como, perguntas e vídeos mostrando a parte operacional da sua empresa, que também são uma boa pedida para ajudar a criar um relacionamento mais humano entre a marca e o cliente, mas atenção, essas interações SEMPRE devem ser respondidas de forma PERSONALIZADA, sei que não é uma tarefa fácil, porém qualquer empresa de médio ou grande porte deve ter uma equipe que trabalhe apenas respondendo aos directs, comentários e interações nas redes, isso é uma obrigação, quando se quer criar uma marca mais humana e próxima da audiência.

Conteúdo e mais conteúdo

Para o feed devemos reservar o espaço para conteúdos um pouco mais elaborados e que gerem valor para o seu público, podemos usar dicas, diy, curiosidades, fatos históricos, etc.

Uma coisa que é muito comum hoje em dia são empresas que usam o feed como uma vitrine virtual, apenas expondo produtos e serviços, o que fica massante para o usuário e acaba com o engajamento da página, e com a relevância dentro do algoritmo, ninguém está nas redes sociais pra ser bombardeado de propaganda o tempo todo, as pessoas estão lá para se distrair e se entreter.

O ideal é que a propaganda apareça em apenas 15% dos seus posts nas mídias, e deve ser algo discreto, uma propaganda “disfarçada de conteúdo” como, por exemplo, um post de faça você mesmo que eventualmente leve para a página de compra das ferramentas necessárias para o diy no seu site.

Gostou deste conteúdo? Comente aqui o que achou e me acompanhe nas redes sociais onde sempre posto dicas rápidas de design, marketing e empreendedorismo.