Muito se fala que um bom designer precisa entender de cores, formatos, ergonomia, usabilidade e tantas outras coisas, mas esta parte de registro de marcas acaba ficando esquecida e é necessário que tenhamos pelo menos uma noção sobre, pois, quando um cliente vai até o designer ele espera que este, tenha pleno conhecimento sobre tudo que envolve a criação de marca, pensando nisso resolvi fazer este artigo, acredito que será de grande valia para todos, até mesmo aqueles que já entendem sobre registro de marcas.

Para evitar problemas com relação ao registro de marca é essencial que você saiba pelo menos o básico sobre o tema, podendo assim orientar o seu cliente na escolha do nome, é bom lembrar que alguns clientes nem se quer tem a intenção de registrar a marca, então escolhem um nome qualquer ou nomes que são muito comuns, tal ação pode gerar uma grande dor de cabeça para o seu cliente em um futuro próximo e você como profissional, tem o dever alertá-lo disso.

Conhecer o site do INPI e saber fazer uma pesquisa, mesmo que básica, pode te dar algumas vantagens, afinal, o seu cliente vai notar que está falando com alguém que realmente entende de marca, isso acaba lhe promovendo mais autoridade no assunto, além de formar um maior repertório para abordar o cliente em um primeiro momento.

Proteção para o titular e para o consumidor

A intenção do INPI é ser um sistema benéfico tanto para a marca, a protegendo, quanto para os consumidores, para que eles não sejam enganados, ou fiquem confusos com marcas muito parecidas e acabem levando o produto errado pra casa, ou contratando um serviço erroneamente, infelizmente este problema não é tão incomum assim, e prevenindo-se de tais erros, é possível economizar uma grana com problemas judiciais no futuro.

Só é dono de uma marca quem paga por ela

Muitas pessoas se enganam ao achar que, por ter o nome registrado na junta comercial, ter um CNPJ ou até mesmo o domínio do site, automaticamente seja validada a propriedade da sua marca, a verdade é que, se você não tiver o registro junto ao INPI, esta marca não é sua.

Meu cliente insiste em usar um nome que entra em conflito com outro que já está registrado, o que fazer?

Caso o seu cliente queira registrar uma marca que já esteja atrelada a outro individuo pelo INPI, você deve orientá-lo quanto aos riscos de ter todo o trabalho gráfico perdido e ainda o possível enfrentamento de processos judiciais futuros. 
Se possível documente tudo isso e peça para o seu cliente assinar comprovando que ele está ciente dos fatos, assim, ele possivelmente irá constatar que o que você está falando é algo mais complexo do que ele pensa. 

um homem pensativo com uma pergunta ao lado dizendo:Meu cliente usa a mesma marca há 
anos, mas nunca a registrou junto
ao INPI, ele precisará trocar 
de nome?

Neste caso, infelizmente sim, é preciso que ele mude de nome, sem que o novo nome tenha qualquer semelhança com o anterior até mesmo a semelhança fonética é levada em conta pelo INPI.

Mas porquê isso é necessário?
Este procedimento será feito visando evitar problemas
com quem pagou pelo registro daquela marca.

É natural que seu cliente fique chateado ao saber disso, mas saiba transformar esse problema em algo positivo para ele, a opção mais recomendada é fazer o rebranding e pensar em uma estratégia de marca que envolva o público do seu cliente neste processo de troca de nome, gerando um menor estranhamento por parte dos consumidores dele, isso pode ser feito criando uma campanha explicativa sobre o porquê da mudança e incluindo pesquisas de opinião ou até enquetes pedindo sugestões de nomes, pode ser que esta campanha gere sugestões bem clichés, mas este não é o foco da campanha, o que realmente importa é o engajamento do cliente neste processo e a aproximação que tal campanha pode trazer para com esta nova marca.

Quanto tempo demora para registrar uma marca junto ao INPI?

E a resposta é, depende, cada caso é um caso, então tem processos que podem levar até dois anos enquanto outros levam 6 meses, geralmente se em meio ao processo não houver nenhuma oposição ou requerimento sobre a mesma marca, então este processo é agilizado, mas o prazo mínimo é de 6 meses mesmo, lembrando que, até mesmo entonações parecidas com outras marcas, podem ser um empecilho ao registrar junto ao INPI, por mais que a grafia seja diferente, vamos ver melhor sobre isso no tutorial de pesquisa de marcas.

Existem três modalidades principais de apresentações de marca para fazer o registro

  • Nominativa – Apenas o nome (grafia e pronúncia)
  • Figurativa –  Apenas a parte gráfica figurativa (Símbolos)
  • Mista – Uma mistura entre a parte da grafia e a parte gráfica, a marca do Burguer King é um exemplo de como este tipo de registro pode ser utilizado.

Obrigado por sua atenção, espero de coração, que este conteúdo seja útil para você.
No próximo post eu vou contar como o designer pode auxiliar o cliente no processo de registro de marca e preparei um passo a passo especial lá no meu perfil do Instagram.

Se quiser saber tudo em primeira mão, basta cadastrar seu e-mail abaixo.